DETETIVES-LEITORES E LEITORES-DETETIVES

Marcos Aparecido Pereira, Epaminondas de Matos Magalhães

Resumo


Este trabalho utiliza-se das figuras do leitor e do detetive da literatura, a fim de criar um jogo de relações entre o ato da leitura e o da investigação, transitando, ainda, pela observação competente e pela criação literária. O texto é dividido em três partes, sendo que, na primeira, mencionaram-se as preferências de leitura dos detetives criados por Edgar Allan Poe, Arthur Conan Doyle, Agatha Christie, Raymond Chandler, Marcos Rey e Luiz Alfredo Garcia-Roza. Na segunda parte, ao falar de observação com fins investigativos, propõe-se uma alegoria entre o leitor e o detetive (ambos leitores). E, na última parte, a partir das teorias de Sartre e Barthes, sobretudo, mas também passando por apontamentos de Boileau e Narcejac, Jauss, Ostrower e Piglia, discute-se a criação literária, durante o ato da leitura.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

ISSN: 2238-8524

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.