ESPELHO, ESPELHO MEU, TENHO CABELO RUIM? ANÁLISE DA REPRESENTAÇÃO DO NEGRO NA LITERATURA INFANTIL EM MATO GROSSO

Gilmara Matos Centeno, Marinei Almeida, Epaminondas de Matos Magalhães

Resumo


O presente artigo tem por objetivo levantar questões raciais, em específico, a representação do negro na literatura infantil mato-grossense, tendo como recorte os aspectos identitários dos negros, tomando como foco o cabelo crespo, considerado ícone da cultura negra, assim como a cor da pele, características essas que são menosprezadas, a partir da construção ideológica de o negro ser visto como um ser inferior. A obra, corpus da discussão, é Cabelo Ruim? A história de três meninas aprendendo a se aceitar (2007), da autora matogrossense Neuza Baptista Pinto, que enfatiza a aproximação de uma nova formulação de conceito de estética, tentando desmistificar os estereótipos adquiridos pela sociedade em que se associam o negro e suas características, como ruins, presentes no discurso histórico da cultura negra como inferior.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN: 2238-8524

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.